Novo Leaf fica mais barato e dobra autonomia nos veículos elétricos.

Carro elétrico mais vendido do planeta agora poderá rodar até 400 km para concorrer com Tesla Model 3 e Chevrolet Bolt

Carro elétrico mais longevo e vendido do mundo, com quase 280 mil unidades comercializadas em diferentes países desde o seu lançamento, no fim de 2010, o Nissan Leaf acaba de ter a segunda geração revelada em evento na cidade de Tóquio, no Japão. Pensado e projetado para rivalizar com o recém-lançado Tesla Model 3 e com o Chevrolet Bolt no segmento de elétricos mais acessíveis, o Leaf ganhou um visual mais esguio, esportivo e aerodinâmico, com pintura em dois tons, lanternas traseiras parecidas com as do SUV Kicks e dianteira com faróis de LEDs.

Segundo a fabricante, as dimensões gerais também cresceram, com 3,5 cm adicionais no comprimento, 1 cm extra na altura e 2 cm na largura, enquanto o centro de gravidade, onde ficam concentradas as baterias e o motor elétrico, na altura do piso, baixou 5 cm – o que contribui para maior estabilidade e condução mais afiada. São no total, agora, 4,48 m de comprimento e 2,70 m de distância entre-eixos, com porta-malas de 435 litros.

Mas são as baterias que merecem destaque, pois autonomia é um fator crucial para veículos elétricos. O novo Leaf terá duas opções: uma com baterias de 40 kWh, que vão proporcionar autonomia de cerca de 241 km com uma carga completa, enquanto a outra, com 60 kWh, vai possibilitar rodar cerca de 321 km até acabar a carga – essas são estimativas no ciclo norte-americano de consumo, enquanto a Nissan anuncia até 400 km no ciclo japonês. Para se ter uma ideia, a autonomia do Leaf atual é de até 172 km, enquanto os concorrentes Model 3 e Bolt são capazes de rodar até 345 km e 382 km, respectivamente (dados das montadoras, no ciclo de consumo adotado nos Estados Unidos).

O preço é outro ponto alto no Leaf de segunda geração, que ficou mais barato. A versão de entrada vai partir de US$ 29.990 (cerca de R$ 93,5 mil na conversão direta) quando chegar aos Estados Unidos, Europa e Canadá, em janeiro de 2018 – o Japão recebe o hatch antes, já no mês que vem – ainda não há previsão de lançamento no Brasil, onde o carro já fez parte de um projeto experimental de táxis cedidos em comodato nas cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro, mas nunca foi oferecido ao consumidor final.

Esse valor é US$ 690 mais em conta que o cobrado pelo Leaf atual e mais barato que o preço inicial de Model 3 (US$ 35 mil ou R$ 109 mil) e Bolt (US$ 36.620 ou R$ 114,1 mil). Vale destacar que os preços não incluem benefícios fiscais, que variam de estado para estado no mercado norte-americano.

Quanto à performance, o Leaf 2 conta com motor elétrico de 150 cv de potência e 32,60 kgf.m de torque, o que vai garantir acelerações espertas. A carga das baterias em uma tomada convencional leva cerca de oito horas, mas com carregador rápido o tempo cai para 40 minutos, com 80% da carga.

Uma das novas características do elétrico da Nissan é a função e-Pedal, que, ao apertar de um botão, faz o carro desacelerar até a imobilidade bastando tirar o pé do pedal do acelerador – o freio convencional continua ativo, caso seja preciso usá-lo. Ao aliviar o pé do acelerador, o carro já começa a reduzir a velocidade.

Além disso, o novo Leaf terá recursos de condução semiautônoma, como o Pro Pilot, um controle de velocidade de cruzeiro adaptativo, que segue o veículo logo à frente em rodovias, mantendo uma distância segura e freando, acelerando e girando o volante sozinho. O modelo também vai contar com sistema de estacionamento semiautomático.

 

 

nissam.com




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *