Atendimento especializado em fisioterapia respiratória.

Assim como a pequena Emanuele de quatro meses, moradora do Bairro Vinosul muitas pessoas que tiveram alguma complicação cardíaca ou passam por dificuldades respiratórias precisam de fisioterapia respiratória.

 

Depois de uma cirurgia cardíaca, devido a uma cardiopatia congênita a pequena tem o acompanhamento da fisioterapeuta Júlia Mognon, no Centro de Referência Materno Infantil para estimulação precoce e prevenção de outras complicações pulmonares.

 

“A crescente incidência de enfermidades respiratórias infantis está ligada em parte a evolução de germes responsáveis pelas infecções respiratórias e ao predomínio de infecções virais sobre as infecções bacterianas, e a outra parte a um conjunto de fatores ambientais que associam os hábitos de vida e poluição do ar. Devido às particularidades do sistema respiratório e a predisposição genética, as crianças estão sempre susceptíveis a infecções respiratórias. As mais comuns são a bronquiolite e as pneumonias”, explica Julia.

 

De acordo com a profissional, os pais são fundamentais para o sucesso da fisioterapia respiratória, com auxílio no uso de incentivadores respiratórios, no encorajamento da tosse, na alternância de decúbito (drenagem postural), ou seja, a criança precisa e deve ser colocada em diferentes posições para auxiliar na ventilação pulmonar (deitada dos dois lados, barriga para baixo, cabeceira elevada), orientados da importância da realização de algumas técnicas de limpeza brônquica, sempre conforme orientação do fisioterapeuta.

 

A Fisioterapia no tratamento de doenças respiratórias de crianças e adultos têm o papel de prevenir e/ou restabelecer alterações nas funções cardio-pulmonares decorrentes de doenças agudas ou crônicas. Ela faz parte de um programa de reabilitação pulmonar, exercícios mundialmente usados, realizado por Fisioterapeutas especializados na área, com objetivo de melhorar a qualidade de vida de pacientes portadores de pneumopatias reduzindo os sintomas de falta de ar, fadiga e acúmulo de secreção pulmonar, melhorando a qualidade de vida, prolongando a sobrevida e reduzindo readimissões hospitalares de pacientes pneumopatas.

 

“A Fisioterapia é uma das mais importantes áreas de qualquer política de Saúde. Dentro do CRMI, a fisioterapia está presente no atendimento de bebês e crianças que passam por dificuldades respiratórias, desde bronquites a pneumonias. Quem já passou por uma situação dessas com os filhos sabe a dificuldade que é o quadro clínico. A fisioterapia respiratória é um trabalho especializado que podemos ofertar para cuidar dos pequenos, que tanto precisam, principalmente durante o inverno”, ressalta o secretário de Saúde, Diogo Segabinazzi Siqueira.

 

Os atendimentos ocorrem no ambulatório de Fisioterapia respiratória do município junto ao Centro de Referência Materno Infantil, nas terças e quartas-feiras no turno da manhã. Os encaminhamentos devem ser direcionados à Central de Fisioterapia, de onde serão referenciados ao ambulatório.

 

Assessoria de Comunicação Social

Fotos: Marina Teles




Deixe uma resposta