Segmento ótico permanece otimista com o futuro dos negócios e da economia, aponta Fecomércio-RS

42

Projeção diz respeito às vendas para o próximo semestre

Com objetivo de analisar a estrutura do setor ótico no Rio Grande do Sul, a Fecomércio-RS realizou, entre 26 de abril e 9 de maio, uma sondagem com 385 estabelecimentos optantes do Simples Nacional. O levantamento se baseou em três eixos: perfil das empresas, avaliação da atualidade e expectativas. Entre os dados, destaca-se o otimismo dos varejistas com relação às vendas nos próximos seis meses, que apostam que a situação melhore muito. Essa foi a expectativa de 42,3% estabelecimentos que participaram da sondagem. A Sondagem de Segmentos / Óticas pode ser acessada aqui.

Entre as organizações consultadas, 72% possui mais de dez anos de atividade e o faturamento mensal proveniente de artigos óticos representa mais de 75% do orçamento para 55,1% dos entrevistados. Entre os empecilhos apontados para o crescimento dos negócios estão a crise vivenciada pelo país (53,0%), a pirataria de produtos (33,2%) e o comércio informal (23,1%). “Além da atividade econômica anêmica, o segmento, de modo especial, sofre com os efeitos devastadores da pirataria e da informalidade. Uma concorrência desleal que, em tempos de baixo movimento, é ainda mais danosa.”, comenta  o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

A pesquisa também traz também informações a respeito da organização financeira das empresas. Nesse quesito, 56,4% possui contabilidade da empresa independente das dos donos, mas para 17,9% dos entrevistados, a mistura das contas acontece. Além disso, 39,2% possui um controle superficial ou não fazem análise da situação econômica dos negócios. Ainda assim, quase metade dos entrevistados (49,1%) relatou não estar endividada. Os que consideram a situação preocupante totalizam 5,2% . Essa situação se explica pelo fato de 67,8% utilizar capital próprio dos sócios quando necessita de crédito para a empresa.  

A atualização e a renovação de produtos é outra preocupação constante para 92,2% dos varejistas enquanto 7,3% as faz de forma esporádica. A forma mais utilizada pelos lojistas (73,6%) é a pesquisa por tendência e produtos com novos e antigos fornecedores. Entre as formas de promoção do negócio e relacionamento com o cliente, 65,5% utilizam  redes sociais e loja virtual.

Os varejistas também foram questionados sobre suas expectativas para a economia e para os negócios. Há mais otimistas para o desempenho dos próprios negócios do que para a economia, mas em ambos os casos os otimistas são a maioria absoluta. 




Deixe uma resposta