Pint of Science conquista Bento Gonçalves

94

Aprovado! Esse foi o resultado da estreia do Pint of Science na Capital Nacional do Vinho, Bento Gonçalves (RS). De 20 a 22, cientistas falaram de forma descomplicada sobre diferentes assuntos em bares da cidade.
A fórmula do evento (bons cientistas + excelente organização + bar) conseguiu atrair cerca de 400 pessoas, de todas as faixas etárias, que  já se agendaram para participar da edição em 2020, que acontecerá de 11 a 13 de maio em todo o mundo.
Durante as três noites, Rodrigo Monteiro e Fábio Ribeiro, analistas da Embrapa Uva e Vinho, foram os anfitriões e conduziram o evento de forma descontraída e muito animada, contagiando a todos os participantes a brindarem à ciência. O músico Antônio Lugon, que veio diretamente de Lages (SC) como convidado especial, também conquistou o público ao longo das noites do evento, participando das brincadeiras e também tocando e cantando sucessos que fizeram a diferença no festival de Bento Gonçalves.
O Pint of Science em Bento foi promovido pela Embrapa Uva e Vinho e pelo Instituto Federal do Rio Grande do Sul (Campus Bento Gonçalves) e contou com o patrocínio da Basf e da Família Salton. Também apoiaram o maior festival de ciência a Afavin, a Aprovale, a Aprobelo, a Apromontes, a Asprovinho, a Fenavinho, o Ibravin, a Prefeitura Municipal de Bento Gonçalves (Secretarias de Turismo e Cultura), a Sicredi Serrana, os estabelecimentos Boteco Sports, o Botequim São Bento e o MR. Red, onde o evento foi realizado. 
Destaque das palestras
“A partir da fotossíntese, conquistamos a vida neste planeta e ainda usamos esse processo  nas pesquisas para aprimorarmos a nossa produção agrícola, inclusive a qualidade dos vinhos que degustamos! Estes avanços científicos que vivenciamos sempre partiram de algumas questões particulares ou até coletivas. Por isso, neste nosso bate-papo sobre fotossíntese, passamos a mensagem para que todos desenvolvam o espírito questionador. São as dúvidas que direcionam e movimentam a ciência, nos proporcionando o crescimento tecnológico”. Henrique Pessoa dos Santos e Leonardo Cury
“Na agricultura de precisão, o céu é o limite”. Rodrigo Câmara Monteiro
“Um brinde às leveduras, afinal elas estão por toda a parte e são responsáveis pela produção de vários alimentos fermentados. Mas estas pequenas notáveis também podem produzir bioetanol, atuar como probióticos, agentes de controle biológico,  além de muitas outras contribuições.” Bruna Agustini
“A formigas possuem uma sociedade organizada sendo uma excelente fonte de inspiração para os humanos. No entanto é necessário lembrar que cada formiga já nasce com uma função  pré- estabelecida para toda a vida. Já os humanos, como seres pensantes, têm a capacidade de mudar a sua trajetória através da educação.” Aline Nondillo
“O conceito de terroir ainda é novo no Brasil mas já estamos avançados neste tema quando se fala de vinhos das indicações geográficas, que são produtos de terroir – já somos um modelo de referência entre os países produtores de vinho do novo mundo”. Jorge Tonietto
“A ciência e suas instituições são imprescindíveis para o desenvolvimento da agricultura e, particularmente, do setor vitícola brasileiro, que concorre com vinhos de dezenas de países.  Essa pequena “dose de ciência” oferecida nesses três dias busca levar a toda a sociedade conhecimentos com grande qualidade de conteúdo,  de maneira descontraída, em um formato amigável e leve.  Quem assistiu a minha apresentação pode ver, por exemplo, que as barricas de carvalho são muito importantes para transformar a cor, o aroma e o sabor dos vinhos –  e a ciência ajuda a controlar melhor essa tecnologia.” Mauro Zanus 
Confira alguns depoimentos sobre o Pint Of Science
Gabriel Zanella Bello Fialho, estudante 8 anos: “Aprendi que as formigas são muito organizadas, cada uma sabe o que tem que fazer. Gostei de ficar vendo o formigueiro e ver como elas vivem”.
Gerson Lenhard, jornalista do LeOuve: “Sem dúvida nenhuma, uma iniciativa muito legal, uma promoção positiva do que seja cultura, do que seja ciência. Mostra que aquilo que a gente ouve de repente tem um sentido de ser. Então tu aprende as coisas que nem sempre no teu dia-a-dia tu ouve falar. E, sem dúvida nenhuma eu aprendi bastante. E acho que tem que repetir. Foi muito animado, teve a pegada de bar mesmo. Uma coisa leve, divertida, a gente riu. Às vezes um pouco difícil de concentrar, de manter o foco. Mas é por aí. Acho que nos despertou para coisas novas, sem dúvida nenhuma.”  
Luis Carlos Rupp, professor do Inst. Federal Campus Bento Gonçalves, na área de viticultura, produção orgânica e agroecologia: “Achei fantástico o evento, é muito bom. De uma maneira descontraída, leve, traduzir aquela coisa do cotidiano que às vezes é duro, é pesado, da pesquisa, da investigação, científica, da educação, para uma linguagem acessível, fácil, para entender como é o dia-a-dia da pesquisa que é tão importante para qualquer país. Que possamos estar de novo no Pint of Science 2020.“
Maicol Venturin, produtor rural em Caxias do Sul, RS: “Show de bola esse evento. Eu sou um defensor da Embrapa e do Instituto. Eu fiz estágio na Embrapa por três anos e agora eu fiz a graduação no IFRS e agora estou fazendo especialização. Sou suspeito em falar. Show de bola e esse evento vem agregar muito, juntar ciência com o pessoal que é da cidade que não tá muito familiarizado com esses aspectos e eles transmitem de uma maneira muito engraçada, bem leve que o pessoal entende tudo. Tomara que Bento repita isso!”
Rodrigo Ferri Parissoto, Secretário de Turismo de Bento Gonçalves, RS: “Eu estou impressionado, feliz, adorei. É algo que coloca Bento Gonçalves no cenário mundial desse grande evento e que bom que a Embrapa e o Instituto tiveram a iniciativa de fazer o evento. As palestras foram sensacionais. O público compareceu então eu tenho certeza que esse é o primeiro de muitos que vão vir.  Que continuem fazendo, que contem com a Secretaria de Turismo. Realmente algo sensacional. Vocês estão todos de parabéns.”
Vander Cardoso, proprietário Botequim São Bento: “É um evento que abrange muito na área da ciência e que proporciona conhecimento e um bom ambiente para gente fazer isso, num bar, bebendo, comendo. se divertindo, né? Acho bem válido, ficou bem legal. A gente tá sempre buscando novidades, incrementar a casa com coisas diferentes. Esse pessoal que não conhece a casa acaba vindo e conhecendo um pouco mais do nosso trabalho aqui.”
Jennifer Wolffenbuttel, estudante de viticultura e Enologia no IFRS campus Bento: “Eu participei dos três dias do Pint e foi muito interessante. É gratuito e tem muito conhecimento. Espero que tenha nos próximos anos e que mais pessoas possam comparecer.”
Sílvia Kuhn Berenguer Barbosa, diretora da Simpli Consultoria Ltda: “Evento maravilhoso. Acho que é uma excelente oportunidade de divulgar a ciência, de despertar o interesse pela ciência e só valoriza nossa cidade, Bento Gonçalves. Uma das poucas cidades que tem uma Embrapa, que tem uma identificação com a pesquisa, com a indústria, com as cadeias produtivas de vinhos de móveis, de metalmecânica. Gostaria de deixar registrado que mais pessoas participem e que o evento aconteça mais vezes, que aconteça sempre, se possível mais que uma vez por ano. As palestras nem tinham muito caráter de palestra, tinham caráter quase que um evento festivo, uma festa. Então se toda aula fosse assim, não precisava nem de sala de aula.”
Daniel de Paris, diretor-técnico da Aprovale: “Muito importante para divulgar o Vinho da Aprovale, entidade pioneira na Indicação Geográfica, nos vinhos de terroir. É importante valorizar tudo que é trabalhado na ciência do vinho. A Aprovale continuará participando das próximas edições. A ideia é apaixonante.” 




%d blogueiros gostam disto: