Câmara Bento – Vereador Agostinho Petroli “parece-me que ter havido um direcionamento”.

976

Cabe a nós vereadores ver o valor investido nestas decorações e ver se correspondem os gastos.
Precisamos gastar em saneamento, nos acessos norte e sul porque são horríveis os acessos a cidade. Não podemos considera a cidade de Bento como uma cidade turística com estes acessos. O poder público precisa fazer muito e muito mais, precisamos pensar diferente., concluiu ele.

Sobre o poder público de Bento Gonçalves, vemos que temos de aprender pois temos leis que geram interpretações opostas. Do jeito que passam os projetos nesta casa, estamos criando uma sucursal do executivo onde nos tornamos um governo municipal onde o governo esta apenas em um grupo de pessoas.
Em períodos onde até a leitura de pedidos de informações de vistas a projetos são recusados na câmara de vereadores, o que sobra de transparência ao cidadão? Quem ganha com este obscurantismo?
Parece que estamos cortando a transparência a sociedade.
Por exemplo fiz um pedido em 28 de fevereiro sobre geo-referenciamento, outro de 1º de junho sobre destinação de multas de trânsito, ainda não tenho resposta ainda, em outro pedido sobre a suspensão da licitação do túnel o motivo que o tribunal de contas do estado suspendeu a licitação, então para quem disse que é só pedir as informações que teríamos, esta aí e já fazem 8 ou 9 meses e não temos resposta ainda.

Sobre o Natal Bento
A inexigibilidade de licitação para contratação no turismo de 154 mil e 500 reais.
Ai temos outro contratado Celso Antônio Fortes R$ 46 mil e oitocentos, e ele é pago pelas escolas para estas apresentações.
Outra é AS de Oliveira produções 75 mil, outra VCH produções Culturais e Artísticas 20 mil e muitas outras todas sem exigir
licitação. Recebemos respostas dos pedidos que não dizem nada, que não explicam nada.
Também quero dizer que foi suspenso o pregão municipal para contratação de médicos. ‘Vemos que parece uma constante a suspensão de pregões e licitações pelo tribunal de contas e parece-me que ter havido um direcionamento, mas ainda não dá para ter essa conclusão’, termina ele.

Em outra situação, me senti um verdadeiro idiota, nas reuniões das comissões. Com a seguinte pergunta ‘como faziam a distribuição para fazerem os pareceres dos projetos de lei criados na casa”. Fui enxotado com respostas fora do comum. Conclui ele.




%d blogueiros gostam disto: