Bento conta com 20 caminhões de coleta separada

A preservação do meio ambiente começa com pequenas atitudes diárias, que fazem toda a diferença. Uma das mais importantes é a reciclagem do lixo. Em Bento Gonçalves, a empresa RN Freitas, que realiza a coleta, possui um cronograma para melhor atender a demanda dos bairros. O Município conta com 20 caminhões que recolhem separadamente resíduos recicláveis, orgânicos, vidros e móveis, e que, posteriormente, são encaminhados às noves Associações de Reciclagem locais.

 

Os caminhões são diferentes em seu visual. O de resíduos recicláveis é identificado como “coleta seletiva”, os de orgânicos como “Eu jogo limpo com Bento”, os de vidro possuem a caçamba na cor azul e os de móveis são vermelhos.

 

Desta forma, o cidadão tem um papel fundamental na hora de destinar o seu lixo. “É um trabalho feito em conjunto com a comunidade. Pedimos a colaboração para que o resíduo seja colocado nos dias e horários corretos, facilitando o trabalho dos nossos coletores”, solicita o gerente da empresa RN Freitas, Everton Lopes de Fraga.

 

Os cronogramas de resíduos reciclável, orgânicos e de vidros podem ser consultados no http://www.bentogoncalves.rs.gov.br/cidadao/coleta-de-lixo. Os vidros devem ser colocados em caixas de papelão com o nome ‘VIDROS’ para o coletor identificá-las. Para vidros quebrados, embale os cacos em material resistente. Para recolhimento de entulhos, deve ser feito o agendamento pelo 3055-7190 ou 0800 979-6866.

 

24% de lixo reciclado

Segundo dados da Secretaria do Meio Ambiente cerca de 24,2% do lixo coletado anualmente são reciclados. O resultado deve-se a política pública de incentivo a reciclagem e de educação ambiental implantado pela Administração Municipal. A coleta seletiva para reciclagem dos materiais está possibilitando a recuperação diária de 2,40 toneladas de papel e assemelhados; 2,34 toneladas de plásticos; 1,02 toneladas de vidro; 0,24 toneladas de ferro; e 0,07 toneladas de outros metais.

 

Passo importante 

Outro importante avanço é a proposta de transformar os resíduos em energia alternativa, por meio de uma parceria público-privada exclusiva no país. A construção da Usina de Resíduos Sólidos Urbanos aumentará o percentual de reciclagem na cidade, pois a separação do lixo feita pelas recicladoras contará com auxílio de uma esteira com sensores que identificarão o que é plástico, papel, metal, vidro e lixo orgânico.

 

Como separar o lixo doméstico?

Não misture recicláveis com orgânicos – sobras de alimentos, cascas de frutas e legumes. Coloque plásticos, vidros, metais e papéis em sacos separados.

 

Lave as embalagens do tipo longa vida, latas, garrafas e frascos de vidro e plástico. Seque-os antes de depositar nos coletores.

 

Papéis devem estar secos. Podem ser dobrados, mas não amassados.

 

Outras dicas 

Papéis: todos os tipos são recicláveis, inclusive caixas do tipo longa-vida e de papelão. Não recicle papel com material orgânico, como caixas de pizza cheias de gordura, pontas de cigarro, fitas adesivas, fotografias, papéis sanitários e papel-carbono.

 

Plásticos: 90% do lixo produzido no mundo são à base de plástico. Por isso, esse material merece uma atenção especial. Recicle sacos de supermercados, garrafas de refrigerante (pet), tampinhas e até brinquedos quebrados.

 

Vidros: quando limpos e secos, todos são recicláveis, exceto lâmpadas, cristais, espelhos, vidros de automóveis ou temperados, cerâmica e porcelana.

 

Metais: além de todos os tipos de latas de alumínio, é possível reciclar tampinhas, pregos e parafusos. Atenção: clipes, grampos, canos e esponjas de aço devem ficar de fora.

 

Isopor: Ao contrário do que muita gente pensa, o isopor é reciclável. No entanto, esse processo não é economicamente viável. Por isso, é importante usar o isopor de diversas formas e evitar ao máximo o seu desperdício. Quando tiver que jogar fora, coloque na lata de plásticos. Algumas empresas transformam em matéria-prima para blocos de construção civil.

 

 

Assessoria de Comunicação Social

Fotos: Divulgação/RN Freitas




Deixe uma resposta