Círculos de Paz previnem o bullying nas escolas de Garibaldi

47

Um em cada dez estudantes brasileiros é vítima de bullying, conforme divulgado pelo Ministério da Educação em 2015. A palavra em inglês se refere a atos de intimidação e violência física e psicológica, que ocorre geralmente entre a infância e adolescência, em ambiente escolar.

De acordo com especialistas, educadores e pais devem estar atentos ao comportamento dos jovens e manter abertos os canais de comunicação, para que a vítima possa externar o que sente e, assim, minimizar os efeitos da intimidação em seu futuro.

Para estimular o diálogo nas escolas, a Prefeitura de Garibaldi, por meio da Secretaria Municipal de Educação, desenvolve atividades de Justiça Restaurativa e Círculos de Paz. Os processos circulares são realizados com alunos, professores, servidores e pais, conforme o conflito a ser resolvido.

Os participantes são dispostos em forma circular, onde é permitida a palavra somente quando recebem o objeto definido, que percorre o círculo de mão em mão. Assim, todos são ouvidos e têm oportunidade de falar, aprendendo a respeitar o tempo do outro.

Além disso, para fortalecer o elo entre família e escolas, os pais participam pelo terceiro ano consecutivo, de palestras com o objetivo de auxiliá-los na educação dos filhos. São abordados temas como afetividade, limites, amor, amizade, relacionamentos, prevenção à drogadição, entre outros.

“Embora a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional tenha sido alterada em 2018, tratando da prevenção ao bullying e promoção da Cultura da Paz, Garibaldi já o faz desde 2013”, informa a secretária Simone Rosanelli Chies.

Como espaço coletivo, a escola abrange todas essas temáticas do cotidiano moderno. “No entanto, sozinha a escola não dá conta de todos os problemas sociais que a própria sociedade não consegue resolver. Por isso, é imprescindível a família se fazer presente na educação dos filhos”, acrescenta Simone, que lembra que a afetividade e os limites devem permear as relações para fortalecer os vínculos familiares.




Deixe uma resposta