Diretor Regional do Senai diz que evolução da Indústria 4.0 exige mudança de cultura

121

Cerca de 150 pessoas acompanharam na tarde de quinta-feira, 5 de setembro, a palestra do diretor Regional do Senai-RS, Carlos Artur Trein, que esteve na CIC para apresentar os conceitos da Indústria 4.0 na prática.

Na ocasião, ele falou como sua implantação pode beneficiar as empresas e os cenários que estão sendo projetados a partir da Inteligência Artificial, simuladores de realidade, realidade aumentada, Internet das Coisas, entre outros.

Para ele é preciso mudar a cultura dentro das empresas, já que a imagem que se tem é que a tecnologia e a inovação serão meios para reduzir os postos de trabalho, quando na verdade a principal intenção é melhorar a produtividade.

“A tendência será de substituir aquelas ocupações que, por questões de segurança, custo ou produtividade, podem ser melhor executados por sistemas automatizados ou por algoritmos. No entanto, outras ocupações surgirão e isso vai exigir diferentes formas de qualificação”.

No evento, promovido em conjunto entre a CIC e o Sistema Fiergs, Senai e Sesi, Trein explicou os conceitos introdutórios e principais tecnologias habilitadoras, além de demonstrar como pode ser implementada na prática em pequenas empresas, assim como soluções para auxiliar os empresários nesta etapa.

“Mas a empresa não deve implantar nenhuma dessas tecnologias habilitadoras proporcionadas pela Indústria 4.0 se não tiver objetivos claros, entre eles, ganhos de produtividade, aumento de segurança, redução de erros, economia de energia e demais recursos e customização da produção”, alertou.

Com exemplos reais, Trein mostrou como pode trazer benefícios imediatos a adoção de princípios da Indústria 4.0. “Trabalhar com esse conceito é uma jornada, com níveis de maturidade e o primeiro deles é a organização da manufatura”.

Segundo ele, o Brasil se encontra na 80a colocação em índice de produtividade em uma pesquisa realizada entre 137 países. De acordo com a Confederação Nacional da Indústria, 42% das empresas ainda desconhece os conceitos da Indústria 4.0.

Porém, na área de formação, lembrou que  não basta criar um profissional com grandes conhecimentos técnicos se ele não tiver competências socioemocionais, sabendo trabalhar em equipe, habilidade para encontrar soluções de problemas complexos e ser criativo.

O dirigente também apresentou vários exemplos de pesquisas que o Senai desenvolve nesta área para auxiliar as indústrias a aprimorar seus processos de produção, além de melhorar a qualidade dos espaços de trabalho para os colaboradores das empresas. O Senai também está atuando na criação de tecnologias que sejam aplicadas para a agricultura.




Deixe uma resposta