Notícias de Bento – Coordenadoria da Mulher e o Centro Revivi divulgam balanço de ações

0
105

Esta News tem o apoio de: Restaurante Bene Mangiare no Guia Comercial Cidades da Serra

A Coordenadoria da Mulher e o Centro Revivi divulgaram nesta semana o balanço de atendimentos realizados em 2019 no Município. Ao todo foram contabilizados 1.394 ações, que envolvem acompanhamento psicossocial, monitoramento das violências e orientações jurídicas.

Os atendimentos prestados pelos órgãos têm por objetivo cessar e ou minimizar a violência vivenciada pela mulher, sem ferir o seu direito à autodeterminação. Assim, a Mulher consegue tomar decisões relativas à situação de violência vivenciada, intervindo para evitar futuros atos de agressões e contribuindo na interrupção do ciclo de violência e penalização do responsável pela agressão.

Conforme os dados foi registrado aumento de 10,55% nos atendimentos em geral e queda de 13% nos atendimento de casos novos, sendo que em 2019 foram 287, em comparação a 2018, que teve 330. Portanto, houve uma média de 117 atendimentos mês entre casos em andamento e novos.

Por outro lado, quanto ao número de não comparecimento (faltantes) aos horários agendados ocorreu queda de 3,60% em relação a 2018, com aumento significativo de 60,6% nos reagendamentos, sendo que isto ocorre mais que uma vez por vítima e nos casos novos.

LEIA MAIS: 110 anos da denominação oficial de Carlos Barbosa

Já nas reincidências, observa-se que ocorreu um aumento significativo de 131,8% em relação ao ano anterior. De acordo com a coordenadora dos serviços, Regina Zanetti “muitas mulheres acabam retornando ao convívio devido a dependência financeira ou mesmo afetiva, em virtude de acreditar nas promessas de mudanças de comportamento por parte do agressor. Também fatores como filhos, religião e cultura destacam-se nestas decisões prorrogando sua humilhação e sofrimento, muitas vezes perpetuamente”, alerta a coordenadora.

Devido a necessidade de conscientização de familiares, no combate a violência doméstica e intrafamiliar, ocorreu aumento de 68% no atendimento individualizado a familiares das vítimas (companheiros, ex-companheiros, irmãos, pais, entre outros) em relação a 2018.

Quanto aos encaminhamentos para a Rede, a Coordenadoria da Mulher e o Centro Revivi, permanecem realizando de acordo com as necessidades das usuárias. Observa-se que a maior incidência de encaminhamentos permanece sendo ao CAPS AD (agressores), CAPS II (vítimas) devido à saúde mental estar comprometida e necessitando de intervenção de outros profissionais como a especialidade em psiquiatria.

Após um período de aproximadamente 5 anos sem ocorrer feminicídios, o município teve dois em 2018 e três em 2019, sendo que nenhuma das vítimas havia registrado ou procurado por auxilio (registro, denúncia e/ou atendimento).

Regina ressalta que a coordenadoria trabalha na conscientização das vítimas e da sociedade como um todo, pois “o fenômeno da violência doméstica é complexo e as dificuldades são apresentadas diariamente. Mesmo assim, acreditamos na luta pela defesa e aplicação dos direitos das mulheres”, finaliza. 

AsCom Bento Gonçalves

Foto: Franciele Gonçalves

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui