“Tiraram Lula do processo político e deu no que deu, uma fraude à eleição”, afirma Renan Calheiros

0
111
Relator da CPI da Covid, Calheiros (E) é aliado de Lula Foto: José Cruz/Agência Brasil
 

Relator da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) disse que a retirada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) das eleições de 2018, em razão das condenações impostas ao petista na Operação Lava-Jato, foi uma “fraude” ao pleito e à “história” do País.

Calheiros afirmou que a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que restabeleceu os direitos políticos de Lula não o surpreendeu porque já havia uma “evolução de derrotas” na narrativa que embalou a Lava-Jato. “Quando começaram a fazer as primeiras pesquisas, e a surpresa de que Lula era competitivo eleitoralmente, usurparam o foro, levaram a investigação para Curitiba. Tiraram Lula do processo político e deu no que deu, uma fraude à eleição e uma fraude também à história do nosso País”, declarou o senador durante um programa de televisão no sábado (08).

 

“Havia uma necessidade de uma revisão do próprio STF sobre a retomada dos direitos políticos de Lula, o que demorou, mas acabou verdadeiramente acontecendo. A democracia enfrenta dificuldades no seu dia a dia, mas ficou tudo absolutamente esclarecido”, afirmou Calheiros.

Aliado de Lula, ele tem dito que não deve se encontrar com o ex-presidente neste momento, em razão de ser o relator da CPI que investiga as ações do governo federal no enfrentamento à pandemia de coronavírus.