Município decreta situação de emergência devido à estiagem

0
BIE - Banco de Imagens Externas da Agência Senado. Com risco de escassez de água, parlamentares propõem combate ao desperdício. Os parlamentares ouviram especialistas e avançaram na votação de projetos para promover o uso racional de recursos hídricos. O Projeto de Lei do Senado (PLS) 112/2013, que tem esse objetivo, foi aprovado no primeiro semestre pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS) e que aguarda deliberação da Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA), onde será votado em decisão terminativa. Crédito: Pedro França/Agência Senado

Mesmo sem previsão de racionamento de água, a Administração Municipal de Garibaldi decretou nesta sexta-feira, dia 13, situação de emergência decorrente da estiagem e da seca que assolam o município e a Serra Gaúcha.

Sendo a água um bem essencial e indispensável ao atendimento de todas as necessidades básicas de vida, fundamental para a sobrevivência e saúde da população, foi preciso tomar algumas medidas para preservá-la enquanto ainda a temos.

Por isso, a Administração Municipal juntamente com a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), pede à população para que evitem atividades de limpeza que utilizem grande volume de água, que podem esperar o período crítico passar, pois o momento é de economizar a água.

Nas propriedades rurais, está ocorrendo escassez de água nas fontes naturais e açudes, fontes essas que abastecem o consumo humano e animal, sendo assim, os produtores que estiveram com dificuldades, poderão fazer contato com a secretaria de Agricultura e Pecuária pessoalmente ou pelo telefone (54)3462-8222.

Com o decreto, fica vedada a utilização de água fornecida Corsan para tarefas de limpeza em larga escala (lavagem de telhados, veículos, calçadas, etc.) ou irrigação de plantas e jardins, bem como o abastecimento de piscinas ou congêneres, relacionados puramente a lazer.

Fica determinado que a fiscalização municipal auxilie a Corsan, na fiscalização das atividades descritas no decreto, aplicando as sanções descritas no presente decreto, no Código de Posturas Municipal e demais legislação de regência.

ASCOM-PMG