JC pelo Brasil – Filha de bispo é achada carbonizada dentro de casa em SC

0
232

A Polícia Civil de Santa Catarina prendeu ontem, em Descanso, a 664 quilômetros de Florianópolis, um homem suspeito de matar carbonizada a cunhada, a auxiliar administrativo Mauriceia Estraich, de 21 anos. A jovem, que é filha de um bispo da Igreja Católica Apostólica Doutrina em Cristo, foi encontrada no domingo (28) sem vida dentro da própria casa, incendiada durante o amanhecer. A suspeita é de que o fogo tenha sido provocado propositalmente no imóvel.

De acordo com o delegado Cléverson Muller, a investigação apontou indícios de que as chamas foram provocadas por um ato criminoso e não por um acidente.

Foram encontradas lesões de agressões físicas pelo corpo de Mauriceia, o que, para a polícia, não é comum em caso de vítimas carbonizadas. A perícia ainda verificou que a jovem inalou fumaça antes de morrer, o que indica que estava viva quando as chamas começaram. A investigação trata a morte como feminicídio, com uso de fogo. “Chamou bastante atenção o fato de a vítima ser alguém jovem, sem limitação física ou mental que a impedisse de sair da residência, que era de madeira. Ela teria condições de deixar o imóvel. No corpo da Mauriceia, havia indícios incomuns em caso de carbonizado. Isso reforçou a nossa tese de que esse incêndio não foi acidental.

A Polícia Civil prendeu o cunhado da vítima após tentativa de fuga para não comparecer à delegacia para ser ouvido e contradições durante o depoimento. Ele é irmão do namorado da vítima, que não estava na casa durante o crime.

“Esse suspeito esteve na residência antes do horário do início do incêndio. É um fato importante que convenceu a Justiça pelo mandado de prisão temporária. Além disso, dois cachorros da vítima se salvaram, saindo da casa. Com isso, reforça a tese de que em algum momento essa porta foi aberta antes do incêndio. Outro fato é o de que o suspeito sabia que a vítima estava sozinha no imóvel”, disse o delegado.

Jovem teria divergências com o cunhado, diz pai Mauriceia era conhecida em Descanso como uma pessoa alegre e que tinha o sonho de se tornar empreendedora, segundo relatos ouvidos pela reportagem. Ela trabalhava há dois meses em uma loja como auxiliar administrativo e se graduou em Administração no início de março. “Ela tinha o sonho de se formar e ter a própria empresa. Por isso escolheu o curso de Administração. Era sempre alegre e brincalhona, não tinha maldade e era totalmente de Deus, sempre procurando bem para os outros. Ficará marcada no coração de todos da cidade”, disse o pai, o bispo Dom Ermindo Estraich, da Paróquia de Descanso. Mauriceia é filha do bispo de antes de ele ter entrado na vida religiosa. Ermindo tem mais quatro filhos.