Autor de feminicídio se apresenta à Polícia Civil e diz que queria dar um susto na ex-companheira

0

Deivis Lobato Braga, 36 anos, se apresentou à Polícia Civil de Caxias do Sul por volta das 11h30 desta sexta-feira (13) para confessar que matou a ex-companheira, a venezuelana Ariana Victoria Godoy Figuera, 24 anos. No depoimento prestado na Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam), ele disse que pretendia dar um susto na vítima, quando derrubou um pote com um líquido corrosivo sobre o rosto e o peito dela.

O crime ocorreu por volta das 22h de quinta-feira (12), na Rua Cristiano Ramos de Oliveira, no bairro Desvio Rizzo. Segundo informações que constam na ocorrência policial, a mãe da vítima relata que Ariana chegou em casa e no portão da residência havia uma pessoa que a chamou pelo nome. Ao se aproximar da venezuelana, o agressor jogou um líquido que atingiu o rosto e escorreu no peito dela. Ariana foi levada até a UPA Zona Norte, e de lá transferida para o Hospital Pompéia, onde morreu por volta das 7h desta sexta-feira devido à gravidade dos ferimentos.

Segundo a titular da Delegacia da Mulher, delegada Carla Zanetti, foi solicitada a prisão preventiva do autor confesso do quinto feminicídio do ano registrado em Caxias. Na tarde desta sexta a delegada acompanhou agentes que cumpriram um mandado de busca e apreensão na casa de Deivis Lobato Braga, que é do Pará. Carla Zanetti conta a versão do preso.

Ariana deixa dois filhos, uma menina que completará um ano neste mês e um menino de quatro anos. Familiares da vítima disseram à polícia que Ariana teve um relacionamento com o autor confesso do crime em Roraima. A relação teria terminado em janeiro deste ano, e em agosto ela mudou-se para Caxias do Sul com os filhos e a mãe. Aqui também reside um irmão de Ariana. Braga teria descoberto onde ela estava e insistia em reatar o relacionamento, conforme relato dos familiares feito à polícia.