A previsão de chuvas expressivas para os próximos dias em diversas regiões gaúchas deve ajudar a reverter os efeitos da estiagem no Estado

0

A previsão de chuvas expressivas para os próximos dias em diversas regiões gaúchas deve ajudar a reverter os efeitos da estiagem que castiga o Estado desde dezembro. É o que aponta o mais recente relatório da Seapdr (Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural) em parceria com a Emater (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural) e o Irga (Instituto Riograndense do Arroz).

Ao longo desta segunda e terça-feira, o forte calor mantêm a possibilidade de chuva de verão, com temperaturas próximas a 35°C na maior parte do Estado. Já na quarta-feira, a propagação de uma área baixa pressão deve provocar chuva em todas as regiões – a projeção é de de temporais em áreas isoladas.

Os totais mais elevados deverão ficar concentrados sobre a Metade Sul e o Oeste gaúchos, sendo que os valores devem oscilar entre 20 e 35 milímetros em grande parte dos municípios, podendo superar 50 milímetros em alguns locais da Região da Campanha. No Alto Uruguai, Região Central, Vale do Taquari e Vale do Rio Pardo, a tendência é de totais entre 10 e 20 milímetros.

Na semana passada, os totais de precipitação registrados pela Secretaria amenizaram a condição de estiagem sobre boa parte do território gaúcho. De acordo com o relatório, entretanto, ainda são necessárias chuvas mais regulares para permitir que a situação seja revertida de modo safisfatório.

Os volumes mais expressivos registrados pela rede Inmet/Seapdr ocorreram em Teutônia (80 milímetros), Santa Rosa (84 mm) Passo Fundo (86 mm), Bagé (97 mm), Caçapava do Sul (98 mm), Santa Maria (118 mm), Uruguaiana (128 mm) e São Luiz Gonzaga (136 mm).

Culturas de verão

O cultivo da soja chegou a 100% da área prevista para a safra deste ano, com 48% das lavouras em fase de desenvolvimento vegetativo, 39% em floração e 13% na fase de enchimento de grãos. Com as chuvas, a cultura retomou o crescimento.

No milho, que foi a cultura mais afetada pela estiagem, 15% das lavouras se encontram em germinação e desenvolvimento vegetativo, 12% em floração, 25% em enchimento de grãos, 26% maduro, e 22% já colhidos. As maiores perdas ocorreram nas regiões de Santa Maria, Ijuí, Lajeado, Soledade, Porto Alegre e Caxias do Sul.

O arroz, que está atualmente com 66% das áreas em estádio reprodutivo, não sofreu com a estiagem e deve ter produtividade dentro da média histórica. A situação de outras culturas como feijão (1ª safra), tabaco, olerícolas, frutícolas, pastagens, bovinoculturas de corte e leite estão no relatório completo, que pode ser consultado no site www.estado.rs.gov.br.

Dicas da Corsan 

Aliadas ao escasso volume de chuvas, as altas temperaturas registradas no Rio Grande do Sul neste verão motivaram a Corsan (Companhia Riograndense de Saneamento) a lançar, nessa segunda-feira, uma campanha de conscientização para a necessoidade de um consumo consciente da água, a fim de evitar o desabastecimento.

A ideia é de que a cooperação de toda a comunidade é imprescindível neste momento crítico. As mensagens são veiculadas  por meio de anúncios de rádio e nas redes sociais, tendo como foco principal os municípios atendidos pela estatal. “Pequenas atitudes diárias fazem a diferença na preservação dos recursos hídricos e também na conta de água”, ressalta o conteúdo, junto com algumas dicas:

– Não deixar torneira aberta enquanto lavar louça ou roupa;

– Evitar banhos longos e procurar se ensaboar com o chuveiro desligado;

– Fechar a torneira ao escovar os dentes;

– Optar por vassoura e balde para lavar o quintal;

– Usar regador para molhar plantas nos horários de menos incidência de sol;

– Colocar o máximo de roupas na máquina a cada lavagem;

– Regular válvulas de descarga;

– Ficar de olho em vazamentos e torneiras pingando.

(Marcello Campos)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui