Empresário Roberto Angeloni morre em acidente com Mercedes de luxo na BR-101

0

Roberto Angeloni, empresário do Grupo Angeloni, o maior de mercados de Santa Catarina e com atuação no Paraná, morreu aos 51 anos neste domingo (28) em um acidente na BR-101, em Biguaçu, na grande Florianópolis. A informação foi confirmada pela PRF (Polícia Rodoviária Federal).

De acordo com a Arteris Litoral Sul, concessionária responsável pelo trecho da rodovia, o acidente aconteceu por volta das 11h40, no quilômetro 184 da rodovia.

Roberto estava dirigindo sua Mercedes-Benz e teve uma colisão lateral com uma Ford Ranger. Depois disso, o carro de luxo ainda bateu em um poste e se partiu ao meio. O empresário não resistiu e faleceu na hora.

Segundo a PRF, os dois veículos estavam acima de 100 quilômetros por hora, limite de velocidade permitido na BR-101.

Na Ranger, o motorista não teve ferimentos. A passageira, no entanto, foi encaminhada ao Hospital Regional de São José em estado moderado.

REDE ANGELONI EMITE NOTA DE PESAR APÓS MORTE DE ROBERTO NA BR-101

angeloni-roberto-2
Roberto faleceu hoje aos 51 anos. (Divulgação/Angeloni)

Roberto Angeloni era filho de Antenor, fundador e presidente do Grupo da rede de supermercados e postos de combustíveis e ex-presidente do Criciúma Esporte Clube. Aos 51 anos, ele desempenhava o cargo de diretor em Curitiba.

Ele nasceu em Criciúma, mas mora em Curitiba. Ou seja, tinha deixado o Estado onde nasceu voltava de viagem à capital paranaense.

Leia a íntegra da nota divulgada pela Rede Angeloni:

“É com imenso pesar que comunicamos o falecimento de Roberto Angeloni, filho de um dos fundadores do grupo ANGELONI, Antenor Angeloni, ocorrido hoje (28/06) em acidente na BR-101, na altura do município de Biguaçu (SC). Nascido em Criciúma (SC), tinha 51 anos e atualmente ocupava o cargo de gerente de Operações da Rede.

Roberto atuava no grupo Angeloni desde muito jovem e considerava que o trabalho é o mais importante desafio da vida e o grande valor do homem, requerendo extrema dedicação e estudo. Deixa os pais, Antenor e Nolênia, os irmãos Cristina e Henrique, sobrinhos, tios e primos.

Seu falecimento precoce deixa ainda imensa lacuna entre amigos e colegas, que guardam a imagem de um profissional sério e dedicado, que tinha como sonho levar o Angeloni a uma posição sempre mais destacada.

A família agradece antecipadamente a todas as manifestações de pesar e solidariedade.”