Consepro completa 30 anos como fundação de apoio à segurança pública em Bento Gonçalves

141

Institucionalização do conselho data de 02 de setembro de 1989, mas atuação no município fortalece os órgãos de segurança há quase quatro décadas

Um terrível incêndio no prédio que abrigava a delegacia de Bento Gonçalves, no ano de 1979, despertou a ideia da criação de uma das mais atuantes entidades do município – e que transformaria, tempos depois, o panorama da segurança bento-gonçalvense. A Fundação Consepro de Apoio à Segurança Pública do município foi instituída oficialmente em 02 de setembro de 1989 – dez anos após o ocorrido – e completa 30 anos em 2019 celebrando muito mais do que seu aniversário: a instituição comemora os inúmeros feitos alcançados em prol da comunidade local.

Apesar de a fundação ter sido efetivada em 1989, o seu surgimento ocorreu ainda em 1980, na gestão de Silvino Grapiglia, como o ‘Conselho Municipal de Segurança Pública’ da época. A ideia, que surgiu no ano anterior, foi encabeçada por Pedro Batista dos Santos em uma reunião do Lions Clube da cidade. Na ocasião, um grupo de empresários perplexos pela destruição da delegacia local provocada pelo fogo, em 79, decidiu unir as forças da classe empresarial e apoiar a reestruturação daquele importante órgão de segurança pública – como narra um dos membros do Consepro que fez parte de praticamente dois terços da trajetória da entidade, o ex-presidente Geraldo Antônio Leite. “O Consepro representa a comunidade e teve origem, desde o princípio, para honrar esse viés”, reforça.

Antes da oficialização, além de Grapiglia, Draito Alegretti – no período de 1982 a 1984 – e o próprio Geraldo – de 1985 a 1988 – conduziram as ações do então conselho municipal até a institucionalização promovida pela gestão de Jovino Antônio Demari – o presidente que por mais tempo comandou as atividades da entidade (de 1989 a 1991 e entre 1994 e 2006). “Tiveram épocas nas quais cogitamos fechar o Consepro, mas a mobilização de todos falou mais alto e, hoje, o Consepro, passados 30 anos, a entidade está consolidada em sua atuação, encaminhando projetos e concretizando realizações”, aponta Demari.

Atualmente com 80 anos de idade, Jovino recorda as façanhas durante o período como quem guarda a sete-chaves um bem precioso. “Realizamos eventos, efetuamos aquisições e conscientizamos a comunidade sobre a importância do Consepro para Bento Gonçalves”, enfatiza. Conscientização, essa, que foi a tônica para a consolidação e a credibilidade da fundação frente a sociedade e o poder público. “O principal desafio sempre foi atentar as pessoas sobre os benefícios da atuação da instituição para todo o contexto municipal e como ela agiliza os serviços prestados pelos órgãos de segurança para melhor atender às demandas sociais”, completa Leite – que comandou as ações também entre 2007 e 2016. Segundo ele, o tripé ‘classe empresarial – poder judiciário – prefeitura’ foi essencial para o fortalecimento das ações promovidas. Além dos ex-mandatários, o empresário Antônio José Enriconi também conduziu uma das gestões na década de 90 – de 1991 a 1993.

Contribuições perenes para o município

Muitos dos benefícios trazidos pelo Consepro se perpetuam até hoje – e evidenciam o quão significativas foram as contribuições de sua implantação em Bento Gonçalves. Da construção do prédio que hoje abriga a Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) do município – considerada uma das grandes obras intermediada pela entidade, em meados de 1987 – até o auxílio para a compra de combustível utilizado na locomoção dos veículos que patrulham a cidade, a atuação do Consepro não se restringe à grandiosidade dos feitos, mas sim à efetividade e assertividade da implantação dos recursos arrecadados.

Isso se reflete no que é a segurança bento-gonçalvense atualmente. Nas três décadas de atuação, a fundação tem sido responsável por transformar a realidade de órgãos públicos de segurança, como as instâncias policiais – no decorrer desse tempo, mais de 100 veículos foram doados para distintas corporações municipais.

Brigada Militar, Polícia Civil, Instituto Geral de Perícias e Instituto Médico Legal são algumas das frentes beneficiadas pelas intermediações do conselho. “Todas as campanhas sempre tiveram o respaldo do público bento-gonçalvense. Nossa cidade sabe diagnosticar suas principais necessidades e investe para suprir essas carências, ajudando as forças competentes a melhorarem a qualidade de vida no nosso município”, avalia o presidente que coordenou as ações do Consepro no ano passado, Laércio Pompermayer.

Na última década, quem também esteve à frente da fundação foi o empresário Elton Paulo Gialdi, que presidiu o órgão não-governamental em 2017 e atualmente comanda o Centro da Indústria, Comércio e Serviços do município – entidade que ajuda a manter as atividades do Consepro. Em seu mandato, foi investido quase R$ 1 milhão, verba que garantiu três viaturas de grande porte para a BM, a construção dos novos alojamentos com capacidade para abrigar 30 policiais militares, a doação de mais de 60 coletes balísticos, além da entrega do Centro Integrado de Operações, de onde a BM monitora as câmeras de segurança da cidade.  “A força coletiva de Bento Gonçalves é impressionante, e isso se traduz nas conquistas alcançadas pelo Consepro em prol do sistema de segurança da cidade. Somado a isso, o apoio da classe empresarial sempre foi, e continuará sendo, fundamental para fortalecer os projetos do conselho”, destaca Gialdi.

Projeção para as próximas décadas

Se o início foi voltado a fomentar a cultura do apoio da sociedade civil aos órgãos públicos de segurança, a consolidação permite que o Consepro projete os próximos anos com cada vez mais apoio de toda a comunidade. A fim de angariar novos avanços, como o Centro Integrado de Operações, a fundação seguirá trabalhando com afinco. “As conquistas do Consepro comprovam algo que sabemos muito bem: Bento Gonçalves é um exemplo de engajamento, de exercício de cidadania. Raras são as comunidades tão colaborativas, tão atuantes em favor da causa da segurança pública. Nossa comunidade faz a sua parte na tentativa de resolver o déficit da segurança pública”, reforça o atual presidente da fundação, José Carlos Zortéa.

Todo cidadão pode auxiliar o Consepro a buscar recursos para apoiar o trabalho dos órgãos de segurança. Para isso, basta entrar em contato com a entidade por meio do telefone (54) 3452.6920 e, assim, ajudar a construir novos capítulos dessa história roteirizada com cunho nobre e benemérito.




%d blogueiros gostam disto: