Dia do Cooperativismo reforça crença nas pessoas para superar crises

0

Dia do Cooperativismo reforça crença nas pessoas para superar crises

Cooperativa Vinícola Garibaldi é caso de sucesso nesse modelo de negócio

O nascimento do cooperativismo, cujo dia internacional é comemorado neste sábado, tem intrínseca relação com o momento pelo qual estamos vivendo. Foi a partir da vivência de crises que esse movimento – baseado em pessoas e no qual o resultado extraído do trabalho delas é controlado de forma democrática – surgiu como modelo de enfrentamento a momentos adversos.

Hoje, portanto, avaliam cooperados, essa é uma forma cada vez mais eficaz para avançar em momentos de crise, ainda mais num mundo que se desenha cada vez mais colaborativo. “A grande força do cooperativismo cresce nas dificuldades, pois na crise as pessoas se unem ainda mais para vencer as dificuldades de forma coletiva”, diz o presidente do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Vergilio Frederico Perius. Foi assim que as cooperativas gaúchas fizeram para enfrentar o atual momento. Desde meados de março até agora, segundo um levantamento da Ocergs, elas somaram R$ 88 milhões em ações para mitigar os efeitos da pandemia. Na esteira dos benefícios, enfileiraram auxílios que contemplaram desde ranchos e apoio na produção de máscaras, passando por adiantamento de sobras a produtores e até auxílio financeiro.

Esse modelo societário está em crescimento na Serra. O número de cooperativas na região se manteve em 54 entre os anos de 2018 e de 2019, mas neste mesmo período de tempo viu o número de associados crescer 3,86%, passando de 331.148 para 343.948 – os números parciais deste ano, devido à pandemia, não foram fechados.

É esse compromisso em ser fiel ao associado em todos os momentos que tem norteado as ações das cooperativas no combate ao surto da covid-19, como tem acontecido na Cooperativa Vinícola Garibaldi. “Atendemos aos interesses das pessoas envolvidas nos negócios da cooperativa, então primeiro atuamos no sentido de preservar a saúde delas, com todos os protocolos, e junto com isso a preservação dos empregos, pois nossa preocupação é o cuidado com as pessoas”, analisa o diretor administrativo da cooperativa, Alexandre Angonezi.

Para ele, esse interesse humano integra os valores da cooperativa para manter o negócio sustentável e, assim, perpetuá-lo como fonte de renda às famílias associadas. “Não adianta sermos viável economicamente e não preservar as pessoas, não cuidar da saúde, não cuidar do meio ambiente. Nós pensamos pelo bem de todos que estão envolvidos com os negócios da cooperativa, por isso trabalhamos para que os sócios permaneçam nas suas atividades com qualidade de vida e bom rendimento pelo que produzem, assim cuidamos da saúde, das pessoas, dos empregos e da sociedade ao fazer o que é correto”, diz Angonezi.

São valores que acompanham, também, as famílias dos mais de 400 associados da vinícola, e que são difundidos desde a sua fundação, em 1931. Ou, quem sabe, até antes, como brinca o presidente do Sistema Ocergs-Sescoop/RS. “Quando os italianos estavam vindo para cá, traziam três coisas na bagagem, fé, esperança e persistência para trabalhar em conjunto, a tal ponto que a história de uma das maiores cooperativas vinícolas já foi constituída em cima do navio”, diverte-se Perius.

De fato, é um trabalho longevo pela sustentabilidade de um negócio que, ano que vem, completa 90 anos, mostrando como a crença nas pessoas é capaz de transformar cenários adversos em ambientes prósperos. São motivos plenos para comemorar o Dia Internacional do Cooperativismo, instituído em 1923, e que serve para relembrar como o trabalho coletivo é capaz de mudar realidades.

Crédito das imagens: Divulgação Cooperativa Vinícola Garibaldi