ECOFAR em Farroupilha. Uma limpeza dúbia, com gastos gritantes aos cofres da prefeitura.

0
Ecofar
Ecofar

Você conhece a Empresa Farroupilhense de Saneamento e Desenvolvimento Ambiental  S/A.  – ECOFAR de Farroupilha?

Dentro de algumas visitas ao site de prestação de contas da Prefeitura de Farroupilha, tive algumas surpresas  no mínimo curiosas. Em caráter de informação e para levar ao conhecimento da sociedade Farroupilhense em um momento que os serviços de limpeza urbana se veem num desleixo sem precedentes, acredito interessante trazer essa matéria a público.

Em de 2016 a Ecofar iniciou suas atividades de limpeza pública e gestão de resíduos no intuito de diminuir o custo mensal para os cofres públicos. Esta foi a justificativa diante do legislativo municipal para sua implantação. Porem a justificativa não se contemplou, pois se verificarmos os registros de contas pagas junto PORTAL DE TRANSPARÊNCIA (http://transparencia.farroupilha.rs.gov.br/index.php?secao=despesas&sub=relacao_cronologica_para_pagamento&filtros=true#),  desnecessários malabarismos literários para entendermos que houve um considerável monstruoso acréscimo aos cofres públicos, dinheiro dos contribuintes.

No mesmo ano de sua implantação houve através do Projeto 003/2016 a câmara de vereadores aprovou a isenção do pagamento de tributos municipais da Ecofar.

Onde está a fiscalização dos vereadores que aprovaram a implantação da Ecofar com a justificativa de redução dos custos ao município?

Absurdamente, o valor apresentado em 2019 dobrou em relação a 2016. Tenho certeza que a sociedade espera uma justificativa diante da flagrada ineficácia dos serviços prestados na limpeza pública e de gestão de resíduos no município.

É de conhecimento público, agora ainda mais, a “prostituição” dos serviços de limpeza em muitos municípios. Em virtude disso o escritor Enio Noronha Raffin em 2004 publicou um livro com título “Máfia Do Lixo: Al Kartell” . Podemos deduzir que  que a criação de Empresas Mistas nos moldes da Ecofar são o novo formato da máfia do lixo que o autor se refere?

Ou será mera coincidência os números de custos da empresa Ecofar?

Será que o ilustre prefeito Claiton Gonçalves e sua prole de trabalho ratificam essa enganação pública, ou será que tem feito algo para solucionar ou amenizar os problemas deste engodo com dinheiro público.

 

 

É Lamentável.

Claudir Benini – Jornalista/Editor   Reg. Prof.15972/RS