III CONGRESSO ESTADUAL DE CULTURA DEBATE O FINANCIAMENTO DA ÁREA

32

Com o tema “O Financiamento à Cultura em Debate”, o III Congresso Estadual de Cultura iniciou seus trabalhos na noite de quarta-feira, 15, na Fundação Casa das Artes. A abertura contou com a apresentação da Camerata da Orquestra Jovem da OSPA. O evento tem o objetivo de fomentar o debate junto às empresas, produtores, empreendedores, agentes, artistas e trabalhadores da cultura em uma rediscussão das leis que subsidiam os editais e projetos.

O secretário da Cultura e presidente da Fundação Casa das Artes, Evandro Soares, ressaltou o protagonismo cultural que Bento Gonçalves vem tendo: “nos últimos anos, nosso município não apenas manteve suas políticas culturais, como buscou a qualificação constante do setor e de seus agentes para que, assim, a cidade e seus cidadãos fossem os principais beneficiados. Dessa forma, a Capital do vinho é referência na área da Cultura. Nos últimos três anos, manteve os seus mecanismos de financiamento, com investimento de quase 2 milhões e meio de reais em mais de 100 projetos da comunidade selecionados em editais públicos e entregues à sociedade”.

O presidente do Conselho Estadual de Cultura, Marco Aurélio Alves, ressaltou o caráter dinâmico e global das faces que compõem a prática da cultura: “se faz necessário compreender a natureza do fomento: recursos públicos precisam servir para promover espaços para o diverso, o plural, o inclusivo e o democrático. Nós não queremos um sistema de financiamento que contemple apenas as ansiedades de conselheiros, técnicos, gestores ou contadores. Nós queremos pensar juntos na abertura de oportunidades para a participação de todos os que alimentam as múltiplas identidades dos gaúchos, na cadeia produtiva da cultura e da economia da cultura”, destaca.

Antes do pronunciamento do prefeito Guilherme Pasin, a secretária Estadual de Cultura, Beatriz Araújo, o secretário da Cultura, Evandro Soares, o presidente do Conselho Estadual de Cultura, Marco Aurélio Alves, e a representante do Conselho Municipal de Política Cultural de Bento Gonçalves, Sílvia Maia, assinaram o Edital “Cultura para todos” que prevê um teto de R$ 765 mil para os projetos culturais para proponentes de Bento Gonçalves.

Em seu discurso, Pasin salientou os fortes vínculos participativos que concretizam a continuidade da promoção do fomento à Cultura no município, como a assinatura do Edital municipal da área para o ano de 2020 e realização do evento: “muito obrigado por mais uma vez nos darem um voto de confiança e escolherem a capital do vinho para sediar mais este Congresso de Cultura. No momento em que recebemos esse evento tão importante, assinamos esse recurso que se destina aos agentes culturais que melhorem apresentarem seus projetos, para assim reafirmarmos a importância do fomento à arte em nossa cidade”, afirma.

A secretária da Cultura do Rio Grande do Sul, que esteve representando o governador Eduardo Leite, Beatriz Araújo, destacou a meta de sua administração. “A renovada SEDAC recém está se estruturando. Estamos no mês cinco deste governo, que corresponde a 10% do período que temos para realizar nosso trabalho e queremos fazer uma gestão colaborativa com 497 municípios de nosso Estado, abraçando a todos e promovendo ações pautadas pela democracia, transparência e espírito republicano. Mais do que isso, os próximos passos irão nos proporcionar a revisão de ações que dialoguem com as necessidades das organizações envolvidas com políticas culturais, bem como, com a execução de atividades busquem expressar opiniões, fortalecendo posicionamentos”.

Após o ator e cineasta Werner Schünemann palestrou sobre a sua trajetória profissional e deixou uma mensagem sobre o tema do Congresso: “a partir de tudo o que já foi conquistado de meios que está funcionando bem, como aqui em Bento, é preciso ir adiante, de ter essa fome de se querer mais. E o financiamento da cultura também é um tripé entre artistas, poder público e os empresários, e transformar isso um negócio. Tenho muita fé que isso auxiliará muito no desenvolvimento geral da Cultura como um todo”.

A cerimônia de abertura ainda contou com a performance do Teatro da Crueldade, encenando a esquete “Despindo o abuso”, e com a apresentação “Um solo para a identidade desta terra”, com o cantor nativista Pirisca Greco.

O Congresso é uma iniciativa do Conselho Estadual de Cultura do Rio Grande do Sul, Secretaria Municipal da Cultura e Conselho Municipal de Política Cultural (CMPC) de Bento Gonçalves. O evento conta com o apoio da Secretaria de Estado da Cultura, Conselho de Dirigentes de Cultura do RS (CODIC), SESC, OSPA, Fundação Casa das Artes e Instituto Tarcísio Michelon.

Programação 16 e 17 de maio

Dia 16 de maio (quinta)

9h – As Organizações da Sociedade Civil Viabilizadoras

10h20 – O Sistema S e suas Ações Culturais

11h20 – A Economia Criativa e a Economia

12h40 – Intervalo para Almoço

13h30 – O Financiamento dos Centros Culturais

14h30 – O Financiamento dos Coletivos Criativos

15h50 – Ausência de Financiamento

17h – Financiamento sobre a perspectiva de culturas populares – Quilombolas, Indígenas, Diversidade

18h – Grupos de Trabalhos: O Financiamento à Cultura

Motivadores: Presidentes de Entidades e Diretores das diversas instituições da SEDAC, Secretários ou Técnicos ligados ao CODIC

Mediação: Conselheiros de Estado

20h – Espetáculo Convidado

Dia 17 de maio (sexta)

9h – Os Grandes Eventos e seu Financiamento

10h20 – O Estado Financiador das Políticas – com o prefeito de Bento Gonçalves Guilherme Pasin

12h20 – Intervalo para Almoço

14h – Encontro de todos os GTs para as Conclusões sobre o Financiamento

16h – AUDIÊNCIA PÚBLICA da Assembleia Legislativa sobre o Financiamento da Cultura

17h30 – Resultado das Discussões e Debates dos Grupos de Trabalho

18h – Encerramento do Congresso

Assessoria de Comunicação Social

Fotos: Jose Martim Estefanon




Deixe uma resposta