Móveis são o segmento do varejo com maior crescimento em 2020

0
190
 

Volume de vendas do segmento no Brasil cresceu 11,9% comparado ao ano anterior. No RS, desempenho ficou estável em relação ao ano anterior

O comércio de móveis no Brasil confirmou a tendência dos últimos meses e foi o segmento que teve o maior crescimento no volume de vendas em 2020 conforme a Pesquisa Mensal de Comércio divulgada pelo IBGE. O volume de vendas cresceu 11,9% comparado ao ano anterior, conforme dados divulgados na última semana e apurados pela Inteligência Comercial do Sindmóveis Bento Gonçalves.

Observa-se, contudo, que esse crescimento ocorreu de forma bastante desigual ao longo do ano em função dos impactos da pandemia. O segundo trimestre foi de forte retração nas vendas, ao passo que o varejo acelerou de forma muito acentuada no segundo semestre. Os estados que cresceram mais que a média brasileira são Bahia, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo, além do Distrito Federal. Apenas dois estados registraram queda no volume de vendas, enquanto o RS ficou praticamente estagnado, com crescimento de 0,3% no ano.

A pandemia e suas consequências ditaram a dinâmica do setor em 2020. O economista do Sindmóveis, Eduardo Santarossa, elenca os principais eventos nesse sentido: desorganização da cadeia produtiva; alta demanda por mobiliário; consumo se recuperando de modo muito mais rápido; medidas emergenciais de sustentação de renda e consumo; descompasso entre oferta e demanda; produção não acompanhando a alta das vendas; níveis de produção e empregos retornando aos patamares pré-pandemia no fim de 2020.

Apesar da trajetória de crescimento iniciada no segundo semestre, setor ainda não recuperou todas as perdas. O principal entrave no momento é a forte alta no preço dos insumos e falta de matérias-primas. Hoje setor segue aquecido e, apesar do ambiente de muitas incertezas, existe expectativas de crescimento em 2021.

O fim do auxílio emergencial, a aceleração no ritmo da pandemia nos últimos meses e novas medidas de restrição são apontados como fatores decisivos para o cenário de 2021. “Embora os resultados do varejo sejam muito positivos para o setor moveleiro, as indústrias e toda a cadeia ainda estão diante de uma conjuntura bastante desafiadora”, pontua o presidente do Sindmóveis, Vinicius Benini.

 

Variação acumulada no trimestre
Base: igual período do ano anterior
1T 2,5%
2T -11,3%
3T 33,8%
4T 19,2%
Variação acumulada no ano
11,9%

 

 

Fonte; Ana Carolina Azevedo

A foto é de Augusto Tomasi