Prefeitos da Serra avaliam tratamento precoce contra o Covid-19

0

Prefeitos da Serra avaliam tratamento precoce contra o Covid-19

Na busca incansável de medidas para combater o Covid-19, o tratamento precoce da doença é um dos temas em pauta na Serra Gaúcha.

Na última quinta-feira, dia 2, prefeitos da Associação de Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne) estiveram em reunião virtual com o procurador do Ministério Público Federal (MPF), Alexandre Schneider, e médicos de diferentes especialidades, debatendo os protocolos para tratar pacientes no início do contágio pelo coronavírus.

“Novos estudos têm apontado que a abordagem primária, na fase 1 do vírus, tem sucesso excepcional, diminuindo o número de internações hospitalares e ocupações de leitos de UTI”, explica o cardiologista Álvaro Nicolao.

Ele relata estudos com resultados promissores no Brasil e exterior. “O município de Porto Feliz (SP) entrou em colapso, quando o sistema de saúde não tinha mais condições de atender as pessoas, pelo alto número de infectados. Eles começaram a efetuar o protocolo precoce e diminuíram de forma expressiva o número de internações hospitalares”, cita o médico.

De acordo com o procurador Schneider, a maioria dos planos de saúde já utiliza o tratamento precoce, o que também deve ser oferecido ao paciente do Sistema Único de Saúde (SUS). “Estamos trabalhando para a formatação de um documento, que servirá de baliza para a atuação dos gestores e médicos do sistema público”, afirma o procurador. “O desejo do MPF é formalizar essa tratativa o quanto antes, para que o cidadão possa ter a expectativa e o direito atendido.”

 prefeito de Garibaldi, Antonio Cettolin, acompanhou a reunião e vê a alternativa com entusiasmo. “Conforme foi apresentado pelos especialistas, este caminho é um novo alento para esta situação que estamos vivendo. Somos totalmente favoráveis a essa iniciativa para salvar vidas e tentar minimizar a situação econômica. Vamos trabalhar para tentar obter um protocolo regional para o tratamento precoce”, Cettolin afirma. O