Tecnologias para alavancar o empoderamento das mulheres rurais

58

Cerca de 120 produtoras rurais participaram nesta terça-feira (11) do primeiro evento específico para as mulheres promovido em parceria pela Embrapa e Emater/RS-Ascar, em Bento Gonçalves (RS). “Para a Embrapa, esse é um momento muito especial, porque sabemos da importância histórica do trabalho desempenhado pelas mulheres, em especial pelas mulheres rurais. Sempre focamos o homem como ator principal, mas hoje nós organizamos este evento como forma de reconhecimento à importância de vocês, produtoras rurais”, anunciou José Fernando da Silva Protas, chefe-geral da Embrapa Uva e Vinho, ao realizar a abertura do evento “Mulheres Rurais: o poder que produz”.

Ainda na abertura, a chefe-geral da Embrapa Suínos e Aves, Janice Zanella, e a gerente da regional da Emater/RS-Ascar de Caxias do Sul, Sandra Dalmina, emocionaram a plateia com seus depoimentos, diretamente ligados à agricultura familiar. As gestoras falaram sobre as diversas dificuldades ao longo do caminho que percorreram para hoje serem as representantes de suas instituições.  “É muito interessante ver as mulheres como uma força extraordinária, que está nas propriedades rurais trabalhando, impulsionando e gerando todo esse desenvolvimento e riqueza, através do suporte a toda a família, nas mais diferentes formas”, disse Sandra.

Para Janice Zanella, a iniciativa concretizou um sonho da Embrapa, de reunir a força da mulher e mostrar que o caminho do sucesso está pronto para ser conquistado, nesta iniciativa liderada pela Embrapa Uva e Vinho. Ela também destacou a ligação do evento aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU), que compõem uma agenda mundial para a construção e implementação de políticas públicas. “Aqui respondemos diretamente a dois dos 17 objetivos propostos: o número 5, de Igualdade de Gênero, e o 10, de Redução das Desigualdades. Nós mulheres não temos que ser iguais aos homens, mas temos que ter as mesmas oportunidades e mostrar o poder e a competência que temos”.

A abertura já preparou a plateia de 120 produtoras rurais para a palestra “Na cabeceira da mesa”, com a jornalista Marciele Scarton, autora do livro Mulheres do Interior,  que destacou e valorizou as conquistas diárias das mulheres. “A proposta da palestra foi incentivar as mulheres a praticarem e a valorizarem as suas conquistas. Muitas vezes esses foram direitos negados para as mulheres do passado e hoje como estão incorporados, a gente acaba deixando de lado, não valorizando”, disse.

Dia de campo sob medida

Á tarde, as produtoras participaram de um dia de campo preparado sob medida por quatro unidades da Embrapa –  Clima Temperado, Suínos e Aves, Trigo e Uva e Vinho, com a apresentação de tecnologias que podem agregar renda à produção. “A ideia foi destacar, a partir da realidade da Serra Gaúcha, o que as unidades de pesquisa do Sul poderiam apresentar. E pela receptividade e avaliação das participantes, foi um sucesso. Com certeza, teremos propriedades que irão adotar as novidades”, avaliou Marcos Botton, chefe de Transferência de Tecnologia da Embrapa Uva e Vinho e idealizador do evento.
 
Em seu espaço, a Embrapa Clima Temperado apresentou variedades de batata-doce biofortificadas que enriquecem a refeição, dentre elas a BRS Amélia, BRS Rubissol, BRS Cuia, BRS Beauregard e BRS Gaita. Também abordou sobre o manejo, produção de mudas e os benefícios nutricionais do alimento.

Já a Embrapa Trigo conquistou as participantes com uma oficina de panificação, na qual foram ensinadas técnicas para agregar valor ao pão comum, utilizando diferentes recheios como calabresa, ervas finas e pizza enrolada. O encontro também esclareceu dúvidas e repassou dicas.

A Embrapa Suínos e Aves apresentou como alternativa para agregação de valor na propriedade a galinha poedeira colonial  Embrapa 051, especializada na produção de ovos de casca marrom. Por ser rústica, ela se adapta bem aos sistemas menos intensivos, característicos da agricultura familiar.

Na estação da Embrapa Uva e Vinho, as mulheres degustaram e compararam o suco de uva integral e o néctar, percebendo as principais diferenças entre eles. Também conheceram o Suquificador, equipamento desenvolvido pela Empres ade Pesquisa para produzir suco de uva integral em pequenas quantidades, ideal para a agricultura familiar.

Atenta a todas as dicas e recomendações, a produtora Valdete Peruzzo aproveitou também para tirar dúvidas sobre a elaboração do suco já pensando no futuro. “Fazer suco é um sonho antigo. Ter um equipamento desses (suquificador), me deixa até sem palavras. Realmente o evento de hoje vai ajudar a realizar o meu sonho”, comentou a agricultora. A importância de aprender e ver coisas diferentes, como esse equipamento também foi o ponto destacado por Teresinha Massocco Paese, produtora de Pinto Bandeira. “Tem que se mostrar, que se tem vontade de aprender. Eu deixaria esse registro: quando tiver um evento, que vá”.

“Além das novidades para as participantes, esse evento fez todo mundo refletir. Foi uma excelente parceria entre a Emater e a  Embrapa”, avaliou a extensionista social Maria de Lourdes Gasperin Pancotte, do escritório da Emater/RS-Ascar de Bento Gonçalves. Ela integrou a comissão organizadora do evento, que foi promovido pela Embrapa e Emater/RS-Ascar, contando com o apoio do Sicredi Serrana, da Corteva Agriscience e do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin).

Coroando o sucesso desse primeiro evento específico para as mulheres, as Instituições responsáveis pela organização já se preparam para as próximas edições, as quais deverão ser anuais, contemplando assuntos sugeridos pelas participantes. Ficou evidente que a fórmula do evento atingiu os objetivos propostos e, somada à própria força inerente das produtoras rurais, alavancará sua participação no desenvolvimento das famílias e comunidades rurais da Serra Gaúcha.




Deixe uma resposta